XX Congresso Brasileiro de Primatologia

Minicursos


Ministrante: Júlio César Bicca-Marques (PUCRS)
Objetivo do minicurso: Qualificar a redação científica dos participantes via dicas do que fazer e não fazer na redação de manuscritos, capítulos etc.

Apresentação do minicurso: Exploraremos aspectos de ética e má conduta científica, da forma e conteúdo das seções que compõem um manuscrito a ser submetido para publicação em periódicos científicos e do processo de submissão, revisão e comunicação com o editor. O formato será do tipo “o que fazer e o que não fazer”. Os temas abordados incluirão como elaborar títulos, resumos e resumos gráficos informativos e atraentes, palavras-chave úteis e destaques da pesquisa adequados, como revisar a literatura e organizar as ideias, o que incluir na Introdução (estado da arte do tema, objetivos, hipóteses e predições) e nos Métodos, como otimizar a seção Resultados com descrições claras e diretas, figuras e tabelas, como discutir em alto nível para avançar o conhecimento científico, o que incluir nos Agradecimentos e como seguir as regras de citação das referências no texto e sua listagem na seção Referências, os tipos de manuscrito, a escolha do periódico e as regras para os autores. O curso envolverá exposição oral dos temas com interação simultânea com os participantes e exercícios práticos por meio de exemplos dos próprios participantes e/ou de buscas em tempo real na internet. Por fim, recomendarei bibliografia especializada para quem desejar se aprofundar na temática.

 
Ministrante: José Eduardo Mantovani (INMA)

Objetivo do minicurso: Os participantes serão capazes de escolher o sistema mais adequado para as condições do projeto

Apresentação do Minicurso: Princípios básicos, sistemas existentes, equipamentos, limites e capacidades dos equipamentos, sensores de monitoramento corporal, vantagens e desvantagens de cada sistema, escolha do sistema e dos equipamentos mais adequados.

Ministrantes: Rafael Magalhães Rabelo (Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, Tefé) & Ítalo Martins da Costa Mourthé (Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, Tefé)

Apresentação do Minicurso: Primatólogos estão frequentemente interessados em estudar a distribuição geográfica das espécies. A distribuição de uma espécie é resultado dos seus requerimentos ambientais e bióticos, bem como de fatores históricos, que combinados possibilitam que a espécie ocorra onde as condições são apropriadas. Compreender o papel e a importância desses fatores é uma questão central em ecologia e a base para compreender o nicho ecológico das espécies. Nesse contexto, a modelagem de distribuição de espécies surge como uma ferramenta valiosa para estimar o efeito desses fatores e as diversas dimensões do nicho das espécies. Esses modelos avaliam a relação entre as ocorrências de uma ou mais espécies e um conjunto de variáveis preditoras espacialmente explícitas, de forma a construir um modelo estatístico que pode ser utilizado para estimar o seu nicho ecológico e projetá-lo no espaço geográfico, no passado, presente e/ou futuro. Esse minicurso vai apresentar a contextualização teórica sobre modelagem de nicho (dados, parametrização e validação de modelos) e exemplos de aplicações em primatologia; bem como capacitar os participantes para visualizar e manipular dados espaciais no R, preparar dados biológicos e ambientais para a modelagem, parametrizar e validar os modelos, e fazer projeções espaciais para estimar a distribuição de espécies.

Pré-requisitos: conhecimento básico/intermediário da linguagem R de programação.

Material necessário: laptop, extensões e adaptadores elétricos.

Ministrantes: Raone Beltrão Mendes (Universidade Federal de Sergipe), Thiago Henrique Gomide Alvim (Rede Eco-Diversa para Conservação da Biodiversidade) & Viviane Sodré Moura (Rede Eco-Diversa para Conservação da Biodiversidade)

Objetivo do Minicurso: Apresentar e aplicar equipamentos e técnicas para ascensão em árvores e amostragem de primatas no dossel.

Apresentação do Minicurso: A amostragem em dossel tem modificado o olhar para os levantamentos e estudos demográficos de primatas. Através desse minicurso, os métodos de ascensão em árvores (arborismo), escolha e instalação dos equipamentos de amostragem e breve análise dos dados serão abordados de forma teórica e prática. Os principais focos serão escolha da área amostral; seleção dos equipamentos de escalada; seleção das árvores; ascensão e deslocamento na árvore amostral; definição do ponto de instalação das armadilhas fotográficas; e aplicabilidades e ajustes do método. Também serão abordadas as possibilidades de pesquisas a serem realizadas com o método de arborismo, tais quais captura e contenção; instalação de armadilhas fotográficas; instalação de plataformas amostrais; coleta de fontes alimentares, entre outros. Por fim, serão exploradas alternativas teóricas sobre os dados a serem obtidos, riqueza, uso e ocupação do hábitat, padrões de atividades, observações comportamentais, interações animais-plantas e animais-animais e um breve exercício de como analisar os dados obtidos.

Pré-requisitos: Por exigência da norma de segurança NR35 para atividades em altura, o participante deve ter até 100 kg.

Material necessário: Solicitamos que os participantes estejam de calça comprida, camisa de manga comprida, bota/botina. Pessoas com cabelo ou barba compridos precisam levar elásticos ou amarras para cabelos, igualmente por razões de segurança.

Ministrantes: Antonio Robério Gomes Freire Filho (Universidade Federal do Piauí) & Marianne da Silva Bello (Universidade Estadual do Rio de Janeiro)

Objetivo do Minicurso: Os discentes conseguirão realizar estudos que envolvem etnoprimatologia e ciência comunitária, ao final do curso.

Apresentação do Minicurso: A etnoprimatologia, inserida na etnobiologia, estuda as interações entre humanos e primatas não-humanos. No minicurso, serão explorados conceitos etnobiológicos, como conhecimento ecológico tradicional, local e etnoprimatologia. Discutiremos aspectos cruciais da pesquisa etnoprimatológica, incluindo o estabelecimento de rapport (confiança mútua entre a pessoa pesquisadora e informantes), métodos de coleta de dados, desenho amostral, definição do público-alvo, interpretação de resultados e suas contribuições para a comunidade local e aplicação no poder público. Em paralelo, a “Ciência Cidadã” envolve a colaboração ativa da população na coleta e análise de dados científicos, visando monitorar a distribuição de espécies em diferentes escalas espaço-temporais. No entanto, tanto a comunidade científica quanto a sociedade enfrentam desafios de acessibilidade, justiça, equidade, diversidade e inclusão. Abordaremos questões e lições da “ciência cidadã” (seria este um bom termo?) destacando a integração de dados ambientais e sociais no estudo de primatas. Também examinaremos desafios e oportunidades de projetos interdisciplinares, promovendo a valorização de diversos saberes para a construção de uma primatologia decolonial.

Material necessário: Material para anotação

 
Ministrantes: Beatriz Felício (USP) & João Victor Verçosa (UNICAMP)

Objetivo do Minicurso: Desenvolver autonomia para a elaboração de projetos de comportamento de primatas, elaborando perguntas, hipóteses e escolhendo os métodos apropriados.

Apresentação do Minicurso: Esse mini-curso é voltado para estudantes que estão iniciando seus estudos na Primatologia. Nesse minicurso, o(a) estudante aprenderá bases teóricas e metodológicas para o desenvolvimento de projetos de comportamento com primatas sob a perspectiva da ecologia e da psicologia. O curso será desenvolvido em três partes: 1) Fundamentos Teóricos do Estudo de Comportamento Animal na Ecologia e Psicologia, 2) Métodos de Amostragem de Comportamento de Primatas, e 3) Desenvolvimento de mini-projeto baseado em observações de comportamentos de primatas em vídeo. Desenvolveremos o processo de formulação de boas perguntas e hipóteses para o estudo de comportamento e, ao final, esperamos que os alunos tenham acesso à literatura e autonomia para buscar como desenvolver pesquisas de comportamento de primatas.

Pré-requisitos: Estar iniciando ou não ter iniciado o estudo com comportamento de primatas. Voltado para alunos de graduação ou início de pós-graduação que estejam iniciando seus projetos.

Ministrantes: Felipe Ennes Silva (Université libre de Bruxelles) & Amely Branquinho Martins (Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Primatas Brasileiros)

Objetivo do Minicurso: Apresentar um panorâma da genômica e proporcionar elementos para o seu uso como ferramenta na pesquisa e conservação de primatas.

Apresentação do Minicurso: As pesquisas na área da genômica tiveram um grande impulso nos últimos anos devido ao desenvolvimento de novas tecnologias de sequenciamento e relativa redução de custos. Diversos consórcios e iniciativas vêm se consolidando para otimizar e impulsionar as pesquisas sobre diversidade genética de diversos grupos taxonômicos. No caso dos primatas, vimos nos últimos anos um avanço ainda maior tendo em vista que, numa perspectiva evolutiva, muitos aspectos da biologia humana podem ser estudados em primatas não-humanos. Além disto, dados genéticos e genômicos têm grande potencial para auxiliar na conservação de espécies ameaçadas, incluindo primatas. Neste minicurso, apresentaremos um referencial teórico sobre os tipos de sequenciamento e dados gerados na era da pesquisa genômica, principais tipos de análises e pipelines disponíveis, além de um panorama geral do desenvolvimento das pesquisas em genômica de primatas nos últimos anos, com um especial foco nos estudos sobre a diversidade e para a conservação. O mini-curso também contará com uma parte prática onde apresentaremos conceitos e comandos básicos para a análise de dados genômicos, assim como importantes plataformas para a aquisição de dados (e.g. GenBank).

Material necessário: Para melhor aproveitamento do mini-curso, é indicado que os alunos tragam seus notebooks. Será dada a opção aos participantes de trabalharem em grupos, caso algum participante não tenha condições de trazer um computador pessoal.

Ministrantes: Andresa Guimarães (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro)

Objetivo do Minicurso: apresentar práticas e procedimentos sobre coleta de amostras biológicas em animais silvestres para diagnóstico de doenças e pesquisa.

Apresentação do Minicurso: O curso representa uma oportunidade para estudantes e profissionais médicos veterinários e biólogos aprimorarem seus conhecimentos e habilidades para executar coleta, acondicionamento e envio de amostras para diagnóstico de doenças em animais silvestres de vida livre ou mantidos sob cuidados humanos. O curso contará com uma parte teórica, abordando conceitos de biossegurança, coleta de amostras biológicas a campo de animais silvestres, acondicionamento, transporte, conservação e a importância do diagnóstico de doenças em animais silvestres no contexto da Saúde Única. Os exames abordados incluirão hemograma, bioquímica sérica, cultivo microbiológico, exame parasitológico, testes sorológicos e moleculares.

Pré-requisitos: Ser estudante ou profissional de medicina veterinária ou ciências biológicas.

 

Para efetuar sua inscrição nos Minicursos, acesse o link: https://elo.iweventos.com.br/evento/cbpr2024/inscricoes/adicionais

 

Valores

até 01/06 até 01/07 após 01/07
R$45,00 R$55,00 R$65,00